Quanto vai custar a minha reforma!?

Planejamento é a essência para uma obra sem dores de cabeça


O valor de reforma sempre é tópico de nossas reuniões e com certeza é uma das perguntas que mais ouvimos aqui no escritório. Como vocês já devem imaginar, não existe uma resposta pronta para uma pergunta que abrange tantas possibilidades.

Ao longo dos tópicos falaremos sobre algumas porcentagens, que encontramos na comparação de cinco projetos desenvolvidos aqui no escritório, todos com tipologias parecidas - apartamentos residenciais, com aproximadamente 70 m² e com orçamentos similares.

1-) CIVIL | FASE CINZA

A parte civil é aquela etapa complexa, com resultados que muitas vezes não são visíveis , porém uma das mais importante! Estamos falando de custos inevitáveis que podem variar dependendo do tamanho/tipo de reforma. Considera-se nesta etapa, de maneira geral, os seguintes itens: mão de obra civil, materiais de demolição e construção, materiais elétricos, materiais hidráulicos, materiais de pintura, materiais para assentamento de pisos e azulejos, limpeza de obra (sacos de entulho e caçamba), instalação de ar-condicionado e seguro de obra.


É essencial lembra-los que o custo de reforma vai variar de acordo com o local de projeto (estamos considerando médias referentes à cidade de São Paulo), com a idade do imóvel e principalmente com o tipo de reforma que pretende-se fazer. Um apartamento antigo, por exemplo, pode apresentar custos muito maiores comparado com um apartamento novo, uma vez que problemas podem aparecer, infras de elétricas e hidráulicas tenham que ser revistas, além do próprio layout que pode estar datado. Por isso quando falamos em apartamentos antigos sempre sugerimos uma reserva financeira.


Para a nossa surpresa esta etapa da obra representa uma média de 17% do valor total de obra, em comparação com alguns sites e revistas que passam uma média entre 20% a 40%. Procurando entender a diferença chegamos à conclusão que conseguimos uma média menor por termos fechado todas as 5 obras com empreiteiros e não com construtoras, que geralmente possuem uma estrutura maior de serviço e em paralelo possuem um valor maior também.



2-) ACABAMENTOS (PISO, PAREDE E FORRO)

Apesar dos acabamentos também serem instalados na etapa civil, decidimos colocá-los em outro tópico pois o seu custo é muito variável, devido as inúmeros possibilidades que o mercado oferece. Um exemplo clássico que sempre usamos é o piso, que pode representar desde 5% até 30% do valor total de obra! É possível encontrar porcelanatos desde 60 reais o metro quadrado até pisos de madeira por 450 reais o metro quadrado.


Analisando os mesmos projetos mencionados no item anterior, a compra de acabamentos ( considerando pisos, paredes e forro) resultou em porcentagens entre 10% até 40% do valor total de obra.


Desta forma, muito cuidado na hora de escolher todos os acabamentos. Procure planificar todos os seus gastos antes de sair para as compras, colocando na balança os pontos nos quais você realmente gostaria de investir. Uma coisa podemos dizer com certeza, uma boa roupagem dispensa acessórios!


3-) MARCENARIA, MÓVEIS E ELETRÔNICOS

Passado todo o desafio da etapa civil, chegamos em uma das etapas mais importantes e também uma das etapas mais custosas de acordo com as nossas referências, a marcenaria. Hoje em dia, com os apartamentos cada vez menores, procuramos aproveitar todos os espaços disponíveis e até mesmo os não disponíveis, por isso as nossas propostas de marcenaria são sempre extensas e trabalhosas!


endo assim, a marcenaria alcançou uma porcentagem entre 30% à 45% do valor total de obra, porcentagem que de fato não passa despercebida e acabou ganhando a primeira posição na nossa planilha de custos. Nossa sugestão é que você gaste muito tempo na escolha do seu fornecedor e se sinta muito seguro na hora da compra.


Não subestime a compra de móveis! São muitos os ítens que devem ser comprados e quando somados representam quase 20% do valor total de obra. Muitas pessoas acreditam que 10 mil reais será suficiente para mobiliar a casa inteira, mas a verdade é que só um sofá de três lugares barato custa aproximadamente 3 mil reais.



4-) PLANIFICANDO TUDO!


Planejamentos é a essência para uma obra sem dores de cabeça, por isso você precisa colocar todos os valores em uma planilha e contabilizar todos os seus gastos. Afinal, quem nunca se surpreendeu com a conta do supermercado !?


Outro fator importantíssimo é fazer uma breve estimativa, antes de sair comprando qualquer coisa. Procure descobrir se de fato você está preparado para uma reforma e se de fato você sabe quanto custa uma reforma. Existem inúmeras tabelas online na qual você encontra preços médios de serviços como pintura, colocação de piso, mão de obra civil, etc. Abaixo estamos listando alguns serviços:


A obra quase nunca é um processo linear, problemas surgem, acréscimos aparecem e desejos de última hora acontecem. Posto isto, quando possível, procure um arquiteto que possa ajudá-lo nesta jornada, ele poderá sugerir caminhos alternativos para você alcançar o resultado desejado e muitas vezes controlar os custos envolvidos.


43 visualizações

MOMBÁ ARQUITETURA | RUA MARTINS FONTES 230, 5° ANDAR | +55 11 3159-4299